Quarta-feira
06 de Julho de 2022 - 

Controle de Processos

Insira seu usuário e senha para acesso ao software jurídico

Previsão do tempo

Hoje - Brasília, DF

Máx
25ºC
Min
13ºC
Predomínio de

Quinta-feira - Brasília, ...

Máx
25ºC
Min
12ºC
Predomínio de

Sexta-feira - Brasília, D...

Máx
25ºC
Min
14ºC
Predomínio de

Cotação Monetária

Moeda Compra Venda
DOLAR 5,30 5,30
EURO 5,53 5,53

Webmail

Clique no botão abaixo para ser direcionado para nosso ambiente de webmail.

Cotação da Bolsa de Valores

Bovespa 0,92% . . . . . . .
Dow Jone ... % . . . . . . .

Newsletter

BATE-PAPO COM JURÍDICO DA AOJUS ESCLARECE DÚVIDAS SOBRE AÇÕES DA INCORPORAÇÃO DA GAJ E IT PARA GRUPO DE RISCO

A Aojus realizou, na noite da última quinta-feira (12), um bate-papo virtual entre Oficiais de Justiça associados e a advogada Thaisi Jorge, do escritório Machado Gobbo Advogados, para esclarecimentos sobre as ações da entidade para a incorporação da GAJ aos vencimentos e o pagamento da Indenização de Transporte para os Oficiais pertencentes ao grupo de risco da Covid-19.   Na abertura, a presidente Laís Grillo informou que esses foram temas que demandaram muitas dúvidas entre os filiados, principalmente diante de algumas decisões favoráveis quanto à incorporação da gratificação.   A advogada da Aojus fez um breve histórico do ingresso da ação que, atualmente, se encontra na fase de réplica junto a 13ª Vara Federal Cível da Seção Judiciária do DF sob o número 1004130-64.2022.4.01.3400. “Todas as decisões favoráveis se baseiam em Recursos Extraordinários transitados em julgado no STJ”, explicou.   De acordo com Dra. Thaisi, é importante ressaltar que somente os associados que integram a lista contida no início da ação é que terão direito ao benefício, no caso de uma decisão favorável. “Cabe à Aojus ingressar com uma outra ação para a possível inclusão daqueles que não estão integrados a essa primeira lista. É importante ressaltar os entendimentos que o TRF-1 e outros têm tido em relação à GAJ, de que ela é um recurso de parcela que faz parte do vencimento básico de vocês e que por isso deveria ser incorporada”.   O segundo tema em pauta da noite foi o pagamento da Indenização de Transporte para os Oficiais de Justiça que integram o grupo de risco da Covid-19. Neste item, a presidente da Aojus esclareceu que houve um primeiro julgamento junto ao Órgão Especial do TJDFT que obteve resultado desfavorável, abrindo a possibilidade e apreensão dos colegas de restituição dos valores recebidos.   A assessora jurídica esclareceu o acompanhamento da Associação referente ao Recurso, bem como a entrega de memoriais aos Desembargadores. “Nós aventamos a possibilidade de compensação pelos Oficiais de Justiça, mas eles rejeitaram. Eu não consigo dar muitos detalhes da decisão, pois o Acórdão ainda não foi pulgado”, disse.   Os próximos passos, de acordo com a advogada, será o ingresso de uma ação judicial coletiva na tentativa de barrar a decisão do TJDFT de devolução dos valores. “Existem uma série de fundamentos que eu não sei se foram levados em consideração, mas que podem ser aplicados como, por exemplo, a boa-fé no recebimento e a própria possibilidade de compensação”.   Para Dra. Thaisi, a decisão do Tribunal de Justiça, com efeito retroativo, viola a segurança jurídica.   Após o esclarecimento das dúvidas trazidas pelos presentes, Laís Grillo e a assessoria jurídica da Aojus reafirmaram que a Associação está atuante para a defesa dos Oficiais de Justiça do TJDFT. “Por isso, a filiação dos colegas é fundamental para fortalecer a nossa entidade nessa luta pelos nossos direitos”, encerrou a presidente.
© 2022 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia